Buscar
  • Por Evandro Lins

Na manhã desta quarta-feira (07) recebeu alta médica do hospital da restauração no Recife, uma mulher que havia sido esfaqueada pelo marido em Toritama.

O caso aconteceu na noite desta terça-feira (06) no bairro Planalto. De acordo com informações do Hospital Nossa Senhora de Fátima, Aline da Silva Santos, 24 anos, foi esfaqueada pelo marido após uma discussão. A vítima sofreu quatro perfurações na região do peito, mão e queixo. Foi atendida no hospital de Toritama de onde foi transferida para o Hospital da Restauração no Recife.

O acusado identificado apenas por Ruan, 21 anos, ainda não foi capturado pela polícia.

#Toritama #Feminicídio


Na noite desta terça-feira (06) uma mulher deu entrada no hospital de Toritama vítima de uma tentativa de feminicídio praticada pelo próprio companheiro.

Segundo informações do Hospital Nossa Senhora de Fátima, Aline da Silva dos Santos, 24 anos, foi esfaqueada após uma discussão com o marido. A vítima foi atingida com duas perfurações na região do peito e em uma das mãos na tentativa de se defender. O caso aconteceu na residência do casal, no bairro planalto.

Após receber os primeiros atendimentos médicos, a vítima foi transferida para outra unidade hospitalar. Seu quadro de saúde não foi detalhado.

A polícia procura o acusado, identificado apenas por Ruan, 21 anos. O caso será investigado pela Polícia Civil do município de Toritama

#Feminicídio #Toritama


Mulheres vítimas de violência passam a ter prioridade de atendimento em hospitais, clínicas e postos de saúde públicos e privados em Pernambuco. A lei foi promulgada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) na quinta (1º) e republicada no Diário Oficial desta terça (6).

De acordo com o texto da lei 16.444, a prioridade no atendimento de saúde deve ser dada a mulheres vítimas de violência desde que os pacientes envolvidos tenham o mesmo grau de risco. A legislação também define violência doméstica e familiar contra a mulher as ações ou omissões que causem morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico.

A lei abrange casos de violência contra a mulher nos âmbitos doméstico, da família ou em qualquer relação íntima de afeto, independentemente da orientação sexual. Além da prioridade no atendimento, os estabelecimentos públicos ou privados também são obrigados a fixar cartazes que indiquem o direito de prioridade às mulheres contempladas pela legislação.

No cartaz, devem constar números de telefone da Central de Atendimento à Mulher (180), Polícia Militar (190), Disque-Denúncia (3421-9595), Ouvidoria da Mulher de Pernambuco (0800 281 8187) e Disque-Denúncia do Ministério Público de Pernambuco (0800 281 9455).

Caso descumpram a legislação, os estabelecimentos devem receber uma advertência e, caso sejam autuados numa segunda vez, devem pagar multa que varia entre R$ 500 ou R$ 1 mil.

#mulher #saúde

Al H.png
Altas Horas.png
Dra. Carla.png
Tower.png
La Porca.png
UNA.png
Willy.png
Açaí.png
Natalício.png
Unopar.png

Blog do Evandro Lins        Copyrigth 2020.                                                                                            

-copyright_90662.png

Desenvolvido por Essencial Comunicação & Mídia - essencialpp@gmail.com