Buscar
  • Evandro Lins

Antônio de Pádua diz que descontrole das feiras motivou medidas mais rígidas em Caruaru


O secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua, esteve em Caruaru nesta sexta-feira (26), para acompanhar o início das ações da quarentena restrita no município. Em entrevista à Rádio Cultura, ele afirmou que o intenso fluxo observado nas feiras da Sulanca das últimas semanas foi o que motivou o Governo do Estado a endurecer as medidas na cidade.


 “Foi justamente essa situação em razão da problemática do descontrole das feiras, da movimentação das pessoas que fez com que o estado tomasse essas medidas, porque é nessas feiras com aglomeração que sem o devido cuidado as pessoas acabam se contaminando, então em razão dessa situação a gente chegou nessa medida de quarentena”, justificou o secretário explicando que um trabalho de contenção intenso será realizado para impedir a circulação das pessoas nas dependências do Parque 18 de Maio: “Um grande planejamento está preparado para que essa estrutura da feira não funcione. Nosso trabalho será fazer uma movimentação prévia no entorno das feiras, parques, para que nem seja possível fazer a montagem, e fazer a contenção da movimentação das pessoas. Estamos preparados para que não tenha as cenas que nós vínhamos observando nessas últimas semanas”, concluiu.  


De acordo com Pádua, a decretação da quarentena é uma medida necessária para conter o avanço do vírus na região. “São medidas necessárias para que as pessoas permaneçam isoladas em suas residências. São medidas de restrição de funcionamento do comércio de uma forma geral pra que a gente reduza a circulação de pessoas na cidade e possa reduzir a velocidade de transmissão do coronavírus aqui na região, que vem apresentando aumento no número de casos, de pessoas doentes acometidas por Covid-19, com a Síndrome Respiratória Aguda Grave que lotam nossos hospitais. A medida é necessária pra que a gente faça uma prevenção para que as pessoas não fiquem doentes e não precisem ser atendias nos hospitais”, pontuou.


Ainda de acordo com o secretário, a princípio as ações serão educativas, no entanto, em caso de descumprimentos, os infratores poderão sofrer sanções penais. “Inicialmente a ação será educativa para que as pessoas sejam orientadas do que não pode, da utilização da máscara, atividades essenciais que são permitidas o funcionamento. Todo esse trabalho da polícia ele vai ser voltado na conscientização inicialmente, mas, se houver desobediência, desacato, descumprimento reiterado das medidas sanitárias, a Polícia Militar tem autorização também de conduzir o infrator pra uma delegacia para que seja autuado por qualquer um desses crimes”, ressaltou.

Blog do Evandro Lins        Copyrigth 2020.                                                                                            

-copyright_90662.png

Desenvolvido por Essencial Comunicação & Mídia - essencialpp@gmail.com