Buscar
  • Evandro Lins

Ato de Lula no Recife teve palmas gravadas e orquestra de frevo para abafar vaias a aliados


Não faltaram estratégias para tentar minimizar os gritos ecoando o nome da pré-candidata a governadora Marília Arraes (Solidariedade) e as vaias a integrantes do PSB durante o ato público no Classic Hall, em Olinda, Grande Recife, nesta quinta-feira (21), para encerrar a passagem do ex-presidente Lula em Pernambuco.


O efeito sonoro simulando aplausos da multidão, coordenado pela equipe de produção que cuidava do som do evento, era um dos recursos usados principalmente nos discursos feitos pelo governador Paulo Câmara (PSB) e a pré candidata ao Senado, deputada estadual Teresa Leitão (PT), sempre que faziam referências ao pré-candidato a governador Danilo Cabral (PSB) e à Frente Popular, e na fala do próprio postulante socialista.


Outra estratégia utilizada foi a sincronia com a orquestra de frevo, sempre tocando com mais efervescência, numa espécie de duelo para abafar a reação negativa de parte do público.


*Do JC Online