Buscar
  • Evandro Lins

“Falar em cobrança de IPVA em um momento desses é uma falta de sensibilidade”, Diz Edilson Tavares


O prefeito de Toritama, Edilson Tavares (MDB), se manifestou na manhã desta sexta-feira (30) sobre a operação da Polícia Militar realizada na quinta-feira (29), onde diversas motocicletas foram recolhidas, em maioria, por atraso no IPVA.

Para fazer a operação, a Polícia solicitou o apoio dos Agentes da CTTU, o que gerou uma revolta nas redes sociais, de pessoas que acreditaram que a ação seria dos Agentes de Trânsito do município, contrariando o que diz o governo, que não atuaria no recolhimento de automóveis por atraso do imposto, que é estadual.


“Nós suspendemos a cobrança do IPTU, que é no início do ano, por intender o momento de dificuldade financeira de todos, como poderia estar perseguindo pessoas com IPVA atrasado?”, questionou Edilson.

O prefeito afirmou que a operação foi de inteira responsabilidade da Polícia Militar.


“A operação foi realizada pela Polícia Militar, que veio com um reboque. O município não tem atribuição para fiscalizar IPVA, isso é com o Estado. Falar em cobrança de IPVA em um momento desses é muita falta de sensibilidade. Eu já disse diversas vezes, que nós não vamos fazer fiscalização pra tá apreendendo motos atrasadas, agora muita gente distorce os fatos pra fazer jogo político, já sei como é, e estou acostumado com isso”. - Afirmou.

Durante entrevista à rádio Toritama FM, Edilson disse ainda que hoje pela manhã foi até o 24º Batalhão de Polícia Militar em Santa Cruz do Capibaribe e conversou pessoalmente com o comandante, onde teria questionado a operação e dito que o município de Toritama não dará nenhum apoio para esse tipo de ação.


“O município não vai dar suporte a operações pra recolher motos com IPVA atrasado”. - Concluiu.