Buscar
  • Evandro Lins

Iphan aprova título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, para o Forró


Nesta quinta-feira (9), finalmente o Forró foi oficializado como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que votou por unanimidade pelo reconhecimento.


Considerado como supergênero, durante reunião extraordinária do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan, o Forró leva essa classificação pois agrupa ritmos e manifestações culturais como o xote, baião, xaxado, miudinho, chamego, quadrilha e arrasta-pé.

Para aprovar o reconhecimento, o Iphan iniciou uma pesquisa em 2019, nos nove estados do Nordeste, além do Distrito Federal, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, para entender e identificar como se expressa o forró. Em seguida, houve também estudos nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, com a identificação de festivais sobre a expressão musical.


O pedido de consideração de registro das matrizes tradicionais do forró foi encaminhado ao Iphan pela Associação Cultural Balaio Nordeste, de João Pessoa, na Paraíba. Após a solicitação, o processo foi aberto em 2011.