Buscar
  • Evandro Lins

Variante de Manaus predomina na região Agreste, aponta monitoramento da UFPE


Nesta segunda-feira (7), foi divulgado o primeiro relatório sobre o monitoramento epidemiológico das variantes do novo coronavírus na região Agreste. O Sequenciamento Genômico da Covid-19 é fruto de uma parceria entre a Prefeitura de Caruaru e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que visa evitar a disseminação da Covid-19 na região.


O documento aponta que 48 amostras foram enviadas ao Núcleo de Pesquisa em Inovação Terapêutica – Suely Galdino. Dessas, foram possíveis de sequenciar, com eficiência e confiabilidade, 27 amostras, onde 26 apresentaram mutações características da variante de Manaus, a P.1.


O relatório mostra, ainda, que há uma alta taxa de mortalidade relacionada à infecção da variante P.1, especialmente devido à superlotação das Unidades Intensivas de Saúde. Em Caruaru, foi registrado uma elevação permanente no número de reinfecções, especialmente nos últimos 90 dias.


Convênio


O convênio entre a Prefeitura de Caruaru e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) terá duração de seis meses. A parceria tem o objetivo de desenvolver um diagnóstico preciso, identificando a possibilidade de novas variantes que estão circulando no Agreste. O resultado do monitoramento será utilizado para solicitar o reforço de vacinas para a região.